Tragédia mundial afecta mais de 1 milhão de lares

Caros leitores, assíduos deste blog, e eventualmente até de outros, mais uma vez me dirijo a vós com a voz embargada, a emoção à flor da pele, os sentimentos confusos, a garganta tremulenta, o nariz pingão e o olho ramelosamente choroso.

Há uma nova calamidade mundial, uma que chegou lentamente, semi-anunciada, pela calada da noite.

Trata-se sem dúvida de algo que será debatido por muito e muitos anos, eminentes analistas farão estudos idiosincráticos para explicar o que correu mal, outros rir-se-ão dos resultados obtidos por estes, e os poetas criarão épicos sobre a já lendária história de esperança, vida, morte e redenção de algo fantasticamente mágico e singular.

Amanhã as aves já não estarão alegres nos seus poisos, o Sol aparecerá timidamente sobre o horizonte, crianças irão cabisbaixas assistir aos seus programas favoritos e jogar nas suas consolas, homens e mulheres um pouco por todo o globo terão o semblante carregado e pesaroso.

Concerteza que já sabem do que falo, mas para os que estiveram a viver numa gruta nestes últimos dois anos, (sim estou a falar com vocês, aí ao fundo, deixem lá de brincar com as ferramentas um do outro e cheguem-se aqui, que isto tambem vos interessa), deixo aqui então um pequeno resumo.

Tudo começou singelamente em 2006, em meados de Janeiro.

Um discreto Ken Hachisu (vamos, não se façam de ignorantes, sabem bem quem ele é… Não?… A sério? Não estão mesmo a ver? Ora esta…), presidente (diz-se CEO em inglês, porque o senhor está lá muito perto pelo que ganha por ano) da Toshiba Corporation anunciou ao mundo que para competir directamente com a Sony, no emergente mercado da Alta Definição (HD, daqui para a frente) ia lançar o formato rival… tchan tchan tchan tchaaaannnnn…. HD-DVD.

Este formato foi apoiado pela sempre querida e fofinha Microsoft, e pelos mimosos e minúsculos estúdios de cinema da Universal, da Warner Brothers, da Paramount e da DreamWorks.

As notícias foram recebidas com muita emoção, houve júbilo um pouco por todo o planeta, guerras foram interrompidas, o Hamas e Israel trocaram abraços e beijinhos, guerrilheiros venezuelanos, peruanos, colombianos e outros anos libertaram subitamente todos os reféns, provocando um sem número de queixas por parte das famílias que já estavam a receber o seguro de vida destes e que agora teriam de devolver.

A Sony, entretanto, macaca que é, não ficou a dormir.

Investindo ainda mais no seu formato exclusivo, o BluRay (daqui para a frente BluRay :)), lançou uma campanha maciça de over-hype da PS3, SCEE_PS3_layflat__small a sua consola de 3ª geração (que teima em não mostrar ainda resultados à altura das expectativas iniciais), uma vez que esta possuía como leitor de média uma drive de Bluray – o objectivo era reduzir o preço da consola, criando uma maior base de utilizadores para os filmes que viriam, dando um passo de gigante na guerra de formatos que se estabeleceu nos 2 anos seguintes.

E verdade seja dita, a Toshiba aí tramou-se bem – apesar da Microsoft com a sua xbox3601sm XBOX 360 (vulgo 360), a consola rival da PS3, lançada um ano antes, ter em opção um leitor de HD-DVD, o facto é que este não era necessário para correr os jogos, e como tal, a um preço proibitivo de quase 200 euros a mais, poucos foram os early-adopters que se chegaram à frente com o carcanhol.

Perdida esta oportunidade de ouro, a Toshiba decidiu continuar a investir nos estúdios de cinema, uma vez que seriam os filmes editados que acabariam certamente por definir o resultado deste sangrento conflito à escala mundial – alegadamente, a Microsoft, em becos escuros e vielas sombrias, terá "subornado" vários desses estúdios com cheques de 100 milhões de dólares para os manter e/ou virar na direcção do HD-DVD.

Certo é que, passados 1 ano e meio, a comunidade tecnologicamente desperta se apercebeu que isto não ia a lado nenhum – era um estilo de "nem o pai morre, nem a gente almoça" dos vídeos de HD.

Os utilizadores, (ou seja, quem de facto compra os filmes), estavam a permanecer à margem da contenda, aguardando pacientemente o vencedor para investir o seu dinheirinho – e com bastante razão, pois mesmo os estúdios de cinema andavam um pouco à nora e grandes produtores e realizadores não faziam o relançamento de obras suas em nenhum dos formatos, para não serem acusados de favorecimentos ou favoritismos.

Veja-se como exemplo que a própria Disney demorou tempos infindos até aderir (final de 2007) e estúdios como a New Line (da trilogia d "O Senhor dos Anéis") nem chegaram a entrar na confusão.

Mas outros estúdios não foram tão pacientes; cansados de ver os lucros a passar-lhes ao lado, e com a "infiltração" de leitores de BluRay em mais de 15 milhões de lares, através da PS3, a Paramount e a Universal abandonaram o barco, qual ratos numa tempestade, desertando para o lado do BluRay.

A Toshiba entretanto reduziu de tal forma o preço dos leitores de HD-DVD, que o último modelo estava a ser vendido a metade do preço de custo, mas nem isso serviu para parar a avalanche.

Em Janeiro, o golpe da morte foi dado pela Warner, apoiante principal da Toshiba, que acabou por tambem mudar de lado com uma desfaçatez notável, afirmando que "os fãs dos seus filmes exigiam uma decisão coerente com o mercado" – e lá foram de armas e bagagens para o BluRay, os cobardezinhos sem espinha.

Agora, chegados a Fevereiro de 2008, mais precisamente ontem, passados cerca de 2 anos desde o início das hostilidades, o CEO da Toshiba, agora Atsutoshi Nishida vem, magnânimo, desistir da contenda, alegando que "esta batalha já se alongava sem benefícios para o consumidor, e que agora os estúdios poderão finalmente avançar sem preocupações com os lançamentos que tiveram em espera estes anos".

Apanhados no meio disto tudo ficam os cerca de 1 milhão de possuidores de leitores de mesa de HD-DVD, como eu, que nem sequer possuem a magra compensação de estes ainda servirem como consola de jogos – quanto muito pisa-papéis, e dos bem carotes.

Restam-lhes os filmes que adquiriram, a preços abismalmente altos, na esperança de estarem a a investir no "futuro da alta-definição", conforme prometia a brochura.

Ainda sairão mais uns poucos a conta-gotas, e depois estará oficialmente morto e enterrado o nosso menino HD-DVD – nem teve uma chance de vingar, pobrezinho.

Vou lembrá-lo diariamente, enquanto os filmes que possuo me entretiverem: para vossa informação, 300, 2-16-08-300-angry The Bourne Supremacy, Van Helsing, Constantine, V for Vendetta, The Chronicles of Riddick, Batman Begins, The Matrix Collection, The Mission: Impossible Trilogy, The Prestige, The Corpse Bride, King Kong, Hulk….

Descansa em paz, HD-DVD. Nunca trairei a tua memória.

(Momento solene de sentida tristeza e pesar…)

Agora, onde anda aquele catálogo da PS3 que eu tinha ali a servir de alvo…

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Não categorizado. ligação permanente.

6 respostas a Tragédia mundial afecta mais de 1 milhão de lares

  1. Teresa diz:

    E enquanto os males do mundo forem esses estamos nós muito bem. Sim … confirma-se: nem uma lagrimnha…nem a voz a tremelicar… nem um andar pesaroso… nem a cabeça baixa..o meu estado de espírito em relação a este assunto resume-se a isto:"…ó meu amigo…é para o lado que durmo melhor!" De todas a formas, e por solidariedade contigo, pois sei que o teu mundo passa muito por estas pseudotrajédias,…ficam aqui os meus pêsames e os meus sentimentos mais sentidos! E como se diz nestas alturas…"tu tens que ser forte. Só o tempo te vai ajudar a tornar tudo numa doce lembrança. Ele ( o HD-DVD) está melhor que nós…! Um abraço aí…Força!

  2. Bruno diz:

    A vingança serve-se fria,neste caso já congelada…isto recorda-me a batalha Vhs/BetaMax.
    É so aguardar agora que a Microsoft disponibilize os discos Bolo-rei para a 360 (sim,porque a 360 é uma verdadeira consola de nova geraçao e é versátil).
    Aquele abraço que é so para alguns meu caro amigo!

  3. Zorze diz:

    Caro Zito, parabéns pelo teu artigo.
    Mas vejo que já não tens a disponibilidade mental de outrora. Realmente o teu novo habitat laboral suga-te a energia vital a uma velocidade alarmante. Um post por mês, já nem comenta no meu humilde bloguezinho. Então rapaz ? Temos que fazer uma magiazinha qualquer.
     
    Quanto ao teu artigo, sabes que eu não ligo muito às guerrinhas desse tipo de indústria. Para mim HD-DVD ou BluRay tanto se me faz. Agora conhecendo-te sei que para ti pode ter contornos dramáticos esta questão (risos). Quem já escolheu um sistema e se é o outro que vinga pode ser um grande problema.
     
    Um abraço,
    Zorze

  4. Zorze diz:

    Lembrei-me agora e queria agradecer-te relativamente à tua célebre frase:
    "Hoje não dá, é que tenho jogos para jogar"
    É de uma eficácia incrível e resulta mesmo. Livra-nos de situações que podiam se tornar bastante embaraçosas. Resultou comigo.
    Obrigado companheiro.
     
    Zorze

  5. Ana diz:

    Tu e as tecnologias… e os jogos… e os filmes… tens piada! 🙂 ***

  6. Luis José diz:

    Não te sabia tão derrotista.
    Sê mais futurista…..confia na tecnologia e nos Senhores-fazedores-de-milhões!
    De qualquer modo, diter-ei que é de lamentar que tamanho talento literário se perca em locais como este e não acredites mais em ti, no teu dom, no teu talento e cultura para fazer chegar ao Mundo o prazer e o saber que possuis quando passas as idéias e as palavras para o papel, afim de mais "people" desfrutar este talento literário.Obrigado por seres meu amigo e para finalizar,
    dou graças por conhecer  o senhor "Comendador" Tito. Tudo de bom  para ti, amigão. 
     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s